Insira sua data de nascimento

Loading

Caragor

Os Bandos de Predadores de Mordor

Caragors, os caçadores mais ferozes de Mordor, andam em pequenos bandos, sempre atrás de algo para devorar, de orcs a graugs. Eles gostam de saltar sobre os inimigos e depois rendê-los com uma mordida de suas enormes mandíbulas, sacudindo a presa como um brinquedo até a morte.

Eles também são bons corredores e escaladores, capazes de escalar penhascos íngremes enquanto caçam. São criaturas bravas de um jeito quase suicida, pois raramente abandonam uma luta antes da morte da presa, ou da sua.

Alguns orcs os capturam e tentam treiná-los para a guerra, mas caragors são geniosos. Tentar domá-los pode ser perigoso até para os uruks mais valentes. Ainda assim, às vezes, eles têm sucesso, seja por sorte, astúcia ou pura determinação.

"Vi o branco dos olhos do caragor. Senti seu bafo, senti os dentes no meu pescoço."

— Tûhorn o Escalador

Caragor-grande

Grandes Caçadores de Mordor

Embora os caragors-grandes sejam maiores do que os caragors comuns, não é isto que os torna perigosos. Eles são os predadores mais astutos de Mordor, capazes de grandes feitos de caça, mas esquivos demais para a maioria dos caçadores. Caragors-grandes são mais claros do que outros caragors e o seu couro é considerado uma marca de distinção entre os orcs de Mordor, especialmente entre domadores e os integrantes da Tribo Atroz.

Caragors-grandes são criaturas solitárias e desdenham até mesmo de outros caragors, enquanto espreitam pelo território selvagem de Mordor. Fora isto, pouco se sabe sobre seu comportamento, pois os observadores tendem a virar comida.

"Ûkbûk era uma piada antes de capturar um caragor-grande e montá-lo. Ninguém mais brinca com o nome de Ûkbûk."

— Glûk o Escarificador

Draco

Os Terrores Alados de Mordor

Criados nas profundezas de Barad-dûr pelo próprio Sauron, são as crias inférteis de dragões e feras caídas. Os dracos são assassinos voadores que dominam os céus das fronteiras montanhosas de Mordor. Eles atacam de cima, imobilizando suas presas com chamas ardentes e matando-as com uma mordida de suas poderosas mandíbulas, antes de levá-las a outro lugar e consumi-las de vez. Caso a refeição ainda resista após os ataques iniciais, dracos são espertos o suficiente para alçar voo e largar a presa para que esta morra com a queda. Dracos são necrófagos habilidosos e não hesitam em raspar uma refeição do chão se necessário. Suas presas favoritas são as águias gigantes que, às vezes, tentam invadir o céu de Mordor.

Eles são criaturas obstinadas, quase impossíveis de domar sem magia, embora alguns orcs continuem tentando. Já outros têm o cuidado de não deixar carniça a céu aberto para não atraí-los, porque eles consomem as carcaças e depois buscam presas vivas por perto.

"Dracos são tanques velozes com garras e lança-chamas, e quando os Nazgûl finalmente deixarem os orcs voarem neles, vamos ser incontroláveis!"

— Mûglûk o Ousado

Ghûl

Espreitadores Noturnos Vorazes

Ghûls, necrófagos noturnos que andam em bando, estão entre as pestes mais perigosas de Mordor. Quando saem em multidões dos montes ou cavernas, eles dominam os uruks em número, ainda que não sejam uma ameaça quando sozinhos.

A maioria dos ghûls ataca com dentes e garras, mas alguns podem lançar um jorro de ácido tóxico à distância. Eles fogem da luz e, às vezes, uma tocha basta para afastar um pequeno bando.

Bandos de ghûls são liderados por uma matriarca, geralmente a maior e mais feroz integrante do grupo.

"Ghûls odeiam luz. Então vamos apagá-la e ver o que acontece."

— Latbag o Faminto

Matriarca-Ghûl

Rainha do Bando

Embora ghûls sejam fracos individualmente, a matriarca-ghûl, que lidera cada bando, é algo a ser temido. Ela é fisicamente mais forte do que o homem ou orc comum, mas sua maior ameaça é a bile venenosa que cospe a vários metros de distância. A bile é cáustica e venenosa, e os ghûls normais avançam sobre as vítimas do jato. Depois que a matriarca-ghûl acerta o alvo, é só uma questão de tempo até a vítima morrer, seja por ataque de ghûls ou por causa da bile, o que vier primeiro. E, se a própria matriarca tombar em batalha, outro ghûl cresce e toma seu lugar como líder do bando.

"Cuidado com a matriarca. Quando as crias dela morrerem, seu sangue vai ferver!"

— Feldûsh o Engole-Chamas

Graug

Os Gigantes de Mordor

São uma das espécies mais antigas de Mordor, criaturas gigantes com escamas encouraçadas e imensa força. Nativos de Núrnen, mas encontrados em outras partes da região, graugs são os inimigos naturais dos caragors, das grandes feras e dos homens-dragão da Desolação do Leste. Quando têm fome, eles consomem quase qualquer criatura viva, incluindo homens e orcs que estiverem por perto.

Os uruks de Mordor caçam graugs de vez em quando, embora essas caçadas costumem ser letais para os caçadores. Bandos de caragors também tentam derrotar graugs, embora o sucesso não seja nada garantido. Graugs podem matar seus atacantes de várias formas: devorando-os, esmagando-os com seus enormes punhos ou simplesmente pisando neles.

"Primeiro você sente as pegadas do graug. Segundo, você ouve os gritos do batedor. E terceiro? É quando a diversão começa."

— Thakrak o Olho-de-Joia

Ave-infernal

Os Espiões Aéreos

Embora tanto orcs quanto homens os chamem de aves-infernais, estes predadores têm pouco em comum com os pássaros recobertos de penas de outros lugares. Estes répteis planam com asas de couro e descem para devorar ratos, aranhas e outros seres voadores, como corvos. Com seus longos pescoços, podem dar mordidas fatais enquanto mantêm o corpo fora do alcance da presa.

Os orcs de Mordor acreditam que as aves-infernais sejam as favoritas do Senhor do Escuro, agindo como seus olhos no céu sobre seu domínio. Já os homens de Gondor não têm tanta certeza disso, mas não hesitam em soltar flechas contra as aves que se aproximam demais, só para garantir.

"Tenho certeza que aquela ave-infernal está me seguindo. Esses animais são mais inteligentes do que parecem."

— Ûggû o Escabroso

Moscas-Morgai

Pragas Devoradoras de Carniça

As moscas-Morgai, enxames de insetos que se alimentam dos abundantes cadáveres descobertos de Mordor, passam boa parte do tempo adormecidas em ninhos suspensos. No entanto, quando um desses ninhos é perturbado, elas saem voando em enxames, picando qualquer uruk que estiver por perto. O zunido de uma nuvem furiosa de moscas-Morgai basta para que muitos orcs saiam correndo de medo.

A aversão dos uruks pelas moscas-Morgai vai além do medo de suas dolorosas picadas: os insetos têm uma marca vermelha em suas costas que os uruks associam ao olho de Sauron.

"Achei que as moscas-Morgai já teriam te sugado! Eu devia ter ficado lá pra garantir!"

— Olgoth o Envelhecido

Graug Raro

Titãs Deformados Pela Magia

A imensa força e corpulência de um graug normal já é ameaça o suficiente, mas graugs capazes de cuspir veneno amargo e virulento, ou até chamas ardentes, foram vistos em Mordor. A maioria dos orcs acredita que os graugs raros sejam resultado de experimentos ritualísticos da tribo Mística, ou que são invenção do próprio Sauron. Assim, os orcs hesitam em caçar essas feras. Alguns domadores, no entanto, veem a domesticação de graugs raros como um desafio digno.

"Como se graugs não fossem ruins o bastante, Mordor teve que criar algo pior."

— Krímp o Conhecedor

Rato

Peste Incômoda

Homens e orcs só concordam em uma coisa: ratos são a maior peste de Mordor. Os ratos selvagens da Terra do Escuro se reproduzem rápido, devoram estoques de alimentos e roem todos os tipos de cordas, alças e tecidos de barracas. Alguns transmitem doenças, e todos dão uma mordida dolorida quando se sentem ameaçados ou com fome. Quando não estão famintos, ratos são pacientes o suficiente para esperar até que uma criatura maior se distraia ou até que as rações deixem de ser vigiadas por um instante.

As lendas dos uruk-hai dizem que multidões de ratos são audaciosas o bastante para atacar um orc em plena luz do dia, consumindo-o até os ossos em poucos minutos. Nenhum orc testemunhou o ocorrido, mas eles já viram ratos suficientes para acreditar na história. Sem dúvida, ratos tentariam isso se achassem que poderia funcionar.

"Ontem à noite, eu ouvi os ratos sussurrando uns para os outros. Eu acho que eles estavam tramando algo."

— Lamlûg o Incansável

Aranha

Tecendo Teias por Mordor

A maioria dos orcs considera uma aranha sozinha como má sorte e um grupo delas como mau presságio. Eles veem as aranhas como meras pestes, sem perceber que cada aracnídeo pode representar os olhos e ouvidos de Laracna. Ao contrário dos ratos, aranhas são meros incômodos; elas não roubam comida o suficiente para que os orcs percebam, e apenas algumas têm mordidas venenosas. Mas, com sua habilidade de escalar e de se esconder, há poucos lugares inalcançáveis para elas em Mordor. Tentar erradicá-las seria uma missão impossível.

"Tá vendo as teias? São aranhas. Criaturas nojentas, provavelmente vindas do vale do sul"

— Gorgûm o Dente-de-Ferro

Cookie Settings